Informações Úteis

Informações Úteis

Clique nos itens...


O ciclo da água, também chamado de ciclo hidrológico, ocorre por meio das mudanças dos estados físicos e da movimentação da água pelos seres vivos e pelo meio ambiente. Esse ciclo depende diretamente da energia solar, dos movimentos de rotação da Terra e, até mesmo, da gravidade.

Ciclo da águaFonte: Brasil Escola.
O Sol é o responsável por proporcionar energia para que o ciclo aconteça. Sua luz provoca a evaporação da água presente na superfície terrestre. Em alguns locais, no entanto, a neve e o gelo sublimam, passando do estado sólido para o vapor, pulando as fases de fusão (sólido para o líquido) e de evaporação.

A água, agora em estado gasoso, sobe para camadas mais altas da atmosfera, onde a temperatura é mais baixa. Ao alcançar determinada altitude, essa substância passa do estado de vapor para o líquido (condensação) e forma as nuvens, que são, na realidade, uma grande quantidade de gotículas de água. Em locais frios, essas gotículas podem solidificar-se e dar origem à neve ou ao granizo.

Ao iniciar a chuva, processo também chamado de precipitação, a água começa a retornar para a superfície terrestre e é influenciada diretamente pela gravidade. Nesse momento, ela pode atingir rios, lagos e oceanos, infiltrar-se no solo e nas rochas ou pode ser impedida de voltar à superfície terrestre pela vegetação.
 

lavando roupa Máquinas de lavar louças e roupas devem ser usadas totalmente cheias. Dessa maneira, a frequência do uso será menor e haverá menos consumo de água. Reutilize a água para lavar o quintal e economize.
Neste verão, molhe as plantas antes das 8 horas e depois das 19 horas. Isso reduz a perda de água por evaporação. use regador para molhar as plantas ao invés de mangueira, a economia pode chegar a 100 litros de água. regando o jardim
vazamento de água Vazamentos em torneiras, em canos e nas descargas do banheiro devem ser consertados. Alguns tipos de vazamentos causam uma perda diária de 24 litros de água. A perda mensal fica em torno de 720 litros.
Quando precisar lavar o carro use um balde. Com uma mangueira gasta-se até 560 litros de água em apenas 20 minutos. lavando o carrp
reduza tempo no banho Reduza o tempo embaixo do chuveiro. Ao invés de tomar um banho demorado diminua para 5 minutos. Assim, economizará até 80 litros de água por banho. Além disso, escovar os dentes com a torneira aberta consome de 12 a 20 litros de água por minuto.
Não use a mangueira do jardim para varrer folhas e resíduos das ruas e calçadas. Use a vassoura que permite economizar tempo e água. varrendo



 


A água é um recurso fundamental para a sobrevivência do ser humano. Ainda que 70% do planeta Terra seja coberto por água, apenas 1% desse volume é considerado potável. Da pequena parte hídrica que é apropriada para consumo humano, 12% fica no Brasil, sendo 70% dessa água doce concentrada na Bacia Amazônica. O restante está distribuído de forma desigual - o Nordeste, por exemplo, possui apenas 5% das reservas brasileiras de água doce, sendo que boa parte desse volume é subterrâneo e com alto teor de sal.

As reservas de água doce estão distribuídas de modo desigual em todo o mundo e, além disso, são constantemente ameaçadas de escassez e contaminação. Tudo isso faz com que seja muito importante praticar o consumo consciente de água.

Praticar o consumo consciente de água não significa deixar de usar o recurso, mas sim repensar as suas formas de uso da água. Evitar desperdícios, reduzir o consumo sempre que possível, fazer a captação da água da chuva e reaproveitar a água cinza gerada pelo chuveiro e pela máquina de lavar roupas são algumas atitudes que podem ser tomadas para.
 

Dicas para um consumo consciente de água:

1. Mantenha a torneira fechada ao escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça. Ao escovar os dentes com ela aberta, você gasta cerca de 13,5 litros de água em apenas dois minutos.

2. Tome banhos curtos. Cinco minutos são suficientes para fazer a limpeza do corpo e, enquanto você se ensaboa, o registro deve ser fechado. Isso gera uma economia de até 30 mil litros no ano.

3. Evite duchas de alta pressão. Apesar de serem usadas para dar a sensação de massagem no corpo, as duchas de alta pressão são inimigas do consumo consciente de água. Um banho de 10 minutos em um chuveiro de 30 litros por minuto gasta em média 300 litros de água - a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que o consumo consciente por habitante é na ordem 112 litros por dia.

4. Organize a louça antes de lavá-la. Use uma bacia para deixar os utensílios de molho, para amolecer a sujeira, lave toda a louça e enxágue tudo de uma única vez. Isso e o uso de materiais biodegradáveis também ajudam na economia.

5. Só ligue a lava-louças e a lava-roupas quando estiverem cheias, pois isso evita o desperdício. Espere juntar uma quantidade de roupas ou louças suficiente para encher os eletrônicos.

6. Se possível, prefira usar a lava-louças no lugar da maneira tradicional de limpeza. O equipamento chega a economizar cerca de seis vezes a quantidade de água normalmente gasta - mas para valer a pena precisa estar cheio de louça.

7. Adote dispositivos que ajudam na redução do consumo de água, como o arejador de torneiras, o restritor de vazão, bacias sanitárias VDR e válvulas automáticas para mictórios.

8. Se você tiver uma piscina, cubra-a com uma capa quando não estiver usando. As piscinas podem perder até 90% de sua água em um mês por conta da evaporação. A cobertura também evita o depósito de folhas e outros resíduos e uma piscina limpa precisa de menos trocas de água.

9. No jardim, evite regar as plantas nos horários de sol forte. Regar o gramado ou o jardim antes das 10 horas da manhã e depois das 7 horas da noite previne o excesso de evaporação.

10. Use a vassoura para limpar o quintal, a calçada ou as áreas comuns de prédios e empresas - uma mangueira ligada por 15 minutos gasta 280 litros de água. Se precisar usar água, prefira equipamentos de limpeza a jato, que usam uma quantidade mínima de água aliada com uma forte pressão.

11. Preste atenção e conserte eventuais vazamentos na sua casa. Um buraco de 2 mm em um cano de uma única casa desperdiça 3.200 litros de água por dia.

12. Converse com as pessoas à sua volta sobre o consumo consciente de água, incentive ações de economia e redução no uso desse bem tão valioso.

13. Use cisternas para fazer a captação e armazenar a água da chuva. Você pode usar uma cisterna ou minicisterna para captar a água da chuva e reutilizá-la em regas, na limpeza do quintal, dos pisos, dentre outros.

 


 


O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (24) uma campanha nacional de combate ao Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus, esta última pode ser a causa do aumento de casos de microcefalia no Nordeste. O objetivo da campanha, de acordo com o ministro Marcelo Castro, é alertar a população para a necessidade de fazer um "combate sem trégua ao mosquito da dengue", depois que o País passou a enfrentar um aumento de 176% de casos prováveis da doença. A estimativa é de 1,5 milhão de casos em 2015, contra 555,4 mil no ano passado. Confira o video a seguir:
 


 


Como descobrir vazamentos de água?

Vazamento de água na caixa de descarga ou na válvula.

- Jogue pó de café dentro do vaso sanitário;

- Verifique se o pó depositou-se no fundo do vaso;

- Em caso negativo, significa que há vazamento de água na caixa de descarga ou na válvula.
 

Em bacias cuja saída da descarga seja na parte de trás (direção da parede), é necessário que se faça o teste esgotando a água. Caso a bacia volte a acumular água, é sinal de que há vazamento na caixa de descarga ou na válvula.
 

Vazamento de água no ramal direto da rede

- Feche o registro do cavalete;

-Abra uma torneira que utiliza a água direto da rede;

-Aguarde até a água parar de correr;

-Posicione um copo cheio de água na boca da torneira;

-Se houver sucção da água do copo pela torneira é indicio de que existe vazamento no cano alimentado pela água da companhia.
 

Outra dicas...

-Mantenha o registro do cavalete aberto;

-Certifique-se de que todas as torneiras da residência estão fechadas e não use os sanitários;

-Certifique-se de que todas as torneiras da caixa estão fechadas para não permitir a entrada de água;

-Observe o hidrômetro e marque a posição do seu ponteiro maior, e depois de uma hora, observe para conferir se ele se movimentou;

-Se o ponteiro maior do hidrômetro se movimentou, isso indica que há vazamento no ramal direto.
 

Vazamentos de água em reservatórios de edifícios/cisternas

-Feche o registro de saída do reservatório;

-Faça o mesmo para a torneira da boia;

-Marque no reservatório o nível de água, aguarde uma hora e verifique o seu nível de água novamente;

-Se o nível de água tiver baixado, isso indica que há vazamentos na canalização ou nos sanitários alimentados pela caixa d'água.
 

Vazamento em instalações que utilizam água da caixa

-Certifique-se de que todas as torneiras da casa estão fechadas e não use os sanitários;

-Feche a torneira de boia da caixa para impedir sua entrada;

-Faça uma marcação na caixa para indiciar o nível da água e aguarde um hora; depois disso, verifique seu nível e sua marcação;

-Se constatar um nível inferior ao marcado, é indício de que existem vazamentos em sanitários ou em canos que utilizam a água da caixa.
 

Fonte: Ecycle
 


1- Não jogue papéis, cigarros, absorventes, restos de comida ou qualquer tipo de lixo no seu vaso sanitário ou pia de sua casa;

2- Mantenha os ralos dos banheiros, pias e lavanderias livres de sujeira;

3- Toda água que sai da pia da cozinha deve passar pela caixa de gordura. Ela existe para impedir o entupimento dos canos da rede. Mantenha-a sempre bem tampada, faça limpeza uma vez por mês e coloque a gordura num saco plástico, para ser jogado no lixo;

4- A água de tanque e da lavanderia é esgoto, assim como a água do banheiro, por isso devem ser lançadas na rede de esgotos, jamais na caixa de gordura ou céu aberto;

5- A água de chuva não deve ser lançada na rede de esgoto, pois pode haver extravasamento e contaminação. Ligar a água de chuva na rede de esgoto é proibido por lei;

6- Nunca utilize poços de visita (PV) como depósitos de lixo, porque eles são usados pelo SAAE para manutenção e limpeza da Rede de esgoto;

7- Um litro de óleo tem capacidade para poluir um milhão de litros de água. Não despeje restos de óleo de frituras na pia, pois em contato com a água solidifica e causa entupimento na rede de esgotos;

8- Produtos como querosene, gasolina, etc têm efeito tóxico e podem causar explosão na rede de esgoto do SAAE;

9- Nunca jogue lixo sólido no esgoto. Para o bom funcionamento a rede só deve conduzir substâncias líquidas;

10- Jamais faça ligações clandestinas de esgotos. Elas põem em risco o funcionamento da rede. Além de ameaçar a sua saúde e da sua comunidade.


 


1 Marque um dia para a limpeza. Utilize a água da caixa para o consumo próprio antes do dia da Higienização, ou guarde-a em algum vasilhame.

2 Feche bem o registro de entrada de água ou amarre a boia da caixa.

3 Esvazie a caixa d'água abrindo as torneiras e verifique se há vazamentos. Se houver, conserte-os.

4 Deixe um pouco de água na caixa. Feche a saída de água com um tampão, evitando que a sujeira passe pelo cano.

5 Escove as partes internas do reservatório com escova ou vassoura limpa.

6 Limpe a sujeira. Com o auxílio de um balde e pano retire a água acumulada.

7 Enxague a parede e o fundo da caixa usando um balde com a mistura de 20L de água e 20 colheres de água sanitária. Deixe agir por 30 minutos.

8 Abra as torneiras para a água descer e fazer a desinfecção dos canos, deixando a caixa esvaziar totalmente.

9 Concluída a limpeza, feche a caixa d'água e verifique se ficou bem vedada.

10 Abra o registro ou desamarre a boia e deixa água entrar.

 

Apresentação

As DTHA são importantes causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, são transmitidas pela ingestão de água e/ou alimentos contaminados. Dentre os agentes etiológicos estão os vírus, parasitos, bactérias e suas toxinas. Também podem ser causadas por toxinas naturais de plantas, fungos e substâncias químicas.

A vigilância das DTHA tem como principal objetivo recomendar medidas e ações para redução das morbimortalidades pelas doenças transmitidas por água e alimentos, reduzindo assim o impacto socioeconômico, provocado por essas doenças. Para que a vigilância ocorra de forma satisfatória é fundamental o aprimoramento na investigação epidemiológica para garantir não só a elucidação do agente etiológico envolvendo o surto, bem como, a identificação da fonte de transmissão, para que sejam desencadeadas as ações de controle.

CÓLERA
A cólera é uma doença infecciosa intestinal aguda causada pela enterotoxina do Víbrio cholerae. È de transmissão predominante hídrica. As manifestações clínicas ocorrem de formas variadas, desde infecções inaparentes ou assintomáticas até casos graves com diarréia profusa, podendo assinalar desidratação rápida, acidose e colapso circulatório, devido a grandes perdas de água e eletrólitos corporais em poucas horas, caso tais perdas não sejam restabelecidas.

FEBRE TIFOIDE(FT)
A febre tifóide é uma doença bacteriana aguda de distribuição mundial. È causada pela Salmonella entérica sorotipo Typhi. Está associada a baixos níveis socioeconômicos, relacionando-se, principalmente, com precárias condições de saneamento e de higiene pessoal e ambiental.

DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS
A Vigilância Epidemiológica das Doenças Diarréicas Agudas(DDA), regulamentada pela Portaria nº 205 de 17 de fevereiro de 2016, é composta pela Monitorização das Doenças Diarréicas Agudas ?MDDA. Todo surto de DDA, seja de transmissão hídrica e alimentar, direta ou indireta é de notificação imediata e compulsória no Sistema de Informação de Agravos de Notificação-Sinan.

Entre as doenças de transmissão hídrica e alimentar (DTHA), destaca-se a doença diarréica aguda (DDA), que é uma síndrome causada por diferentes agentes etiológicos (bactérias, vírus e parasitos), cuja manifestação predominantemente é o aumento do número de evacuações, com fezes aquosas ou de pouca consistência. Os agentes mais freqüentes são de origem bacteriana e virais, por exemplo, Salmonella spp. Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Rotavírus, Norovírus e Adenovírus.

ROTAVÍRUS / NOROVÌRUS
Rotavirus é um género de vírus de RNA bicatenário da família Reoviridae. É umas das principais causas de diarreia grave em lactentes e crianças jovens, e é um do diversos vírus que causam infeções comumente chamadas de gastroenterite e óbitos em crianças menores de 5 anos, em todo o mundo. A maioria das crianças se infecta nos primeiros anos de vida, porém os casos mais graves ocorrem principalmente em crianças até 2 anos de idade.

Há uma vacina constituída por vírus vivos atenuados, que protege contra as gastroenterites causadas pelo rotavírus. Sua aplicação é via oral, em duas doses. A vacina é indicada para prevenção de gastroenterites graves por esse tipo de vírus, mas não protege contra diarreia causada por outros agentes.

DOENÇAS DE TRANSMISSÃO ALIMENTAR (DTA)
Vários são os fatores que contribuem para a ocorrência das Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) entre os quais destacam-se: o crescente aumento das populações; a existência de grupos populacionais vulneráveis; o processo de urbanização desordenado e produção de alimentos em grande escala. Acrescenta-se ainda para o aumento da incidência de DTA, a maior exposição das populações a alimentos destinados ao pronto consumo coletivo ? fast-foods.

As ocorrências das DTA, infecções ou intoxicações podem se apresentar de forma crônica ou aguda, com características de surto ou de casos isolados, com distribuição localizada ou disseminadas e com formas clínicas diversas.

BOTULISMO
Botulismo é uma doença não contagiosa, resultante da ação de uma potente neuro toxina. Apresenta-se sob três formas: botulismo alimentar, botulismo por ferimentos e botulismo intestinal. O local de produção da toxina botulínica é diferente em cada uma dessas formas, porém todas se caracterizam clinicamente por manifestações neurológicas e/ou gastrintestinais, podendo ter evolução grave, com necessidade de hospitalização prolongada.

DOENÇA CREUTZFELDT JACOB (DCJ)
É uma Encefalopatia Espongiforme Transmissível (desordem cerebral degenerativa) rara e fatal caracterizada por rápida neurodegeneração incapacitante com movimentos involuntários. Afeta um em cada milhão de habitantes por ano, geralmente começa entre 50 a 70 anos e 90% morrem em menos de 1 ano. O paciente típico com DCJ desenvolve uma demência progressiva rapidamente associada com sinais neurológicos multifocais, ataxia e mioclonias ficando muda e imóvel na fase terminal.

Nos bovinos é conhecida como 'Doença da Vaca Louca'. São chamadas assim por causa do seu poder de transmissibilidade e devido às suas características neuropatológicas, provocando alterações espongiformes (cérebro com aspectos esponjosos).

O agente etiológico responsável pela Doença de Creutzfeldt-Jakob, é uma partícula proteinácea infectante denominada 'prío' (em inglês: proteinaceous infections particles) e por isso as EET são também conhecidas como doenças do príon ou priônicas.

INSUMOS ESTRATÉGICOS
O Hipoclorito a 2,5% é disponibilizado para o estado pela UVHA/MS. Esse produto deve ter uso exclusivo para desinfecção de água para uso e consumo humano reduzindo as chances de contaminação por vírus, parasitas e bactérias causadores de diarreia, hepatite A e cólera.


 

© 2021 Bocaiuva . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.